Filhos Ilustres

Hermeto Pascoal

imagem.jpg

Hermeto Pascoal nasceu em Lagoa da Canoa no estado de Alagoas no dia 22 de junho de 1936. Ele foi um prodígio musical: ele começou com a flauta e aos oito anos já tocava sanfona. Com onze anos ele estava tocando nos bailes e forrós em torno da região de Arapiraca.

Quando estava com quatorze, sua família se mudou para Recife, e Hermeto começou a ganhar dinheiro em programas de rádio. No final dos anos 50 ele se mudou para o sul, para São Paulo. Sua voracidade musical era enorme e aos poucos ele aprendia a tocar de tudo:que viesse em seu caminho: piano, baixo, palhetas, percussão, enfim, tudo.

Como qualquer músico da sua época, ele integrou grupos de bossa nova no começo dos anos 60, tocando com artistas que hoje têm carreiras respeitáveis, como são as dos artistas Airto Moreira, Heraldo do Monte e Sivuca (com quem tinha um trio de acordeons chamado "O Mundo em Chamas".

Em 1964, ele fundou o "Sambrasa", trio com Airto Moreira e o baixista Humberto Clayber. Mais tarde, Airto estava num grupo chamado "Trio Novo" com os guitarristas Heraldo do Monte e Theo de Barros; Hermeto se reuniu ao grupo que passou a se chamar "Quarteto Novo".

O Quarteto se dedicava a uma reinvenção progressiva das canções nordestinas. "Nós tocávamos baião, xaxado, mas os arranjos eram muito jazzy, em tempo 4/4 com modernas harmonias".

Infelizmente, o grupo só gravou um disco e foi em 1967: "Quarteto Novo". Esse grupo exerceu uma profunda influência na música instrumental brasileira na década de 60 e os efeitos até hoje podem ser sentidos. Em 1970, Airto convidou Hermeto para gravar um disco nos Estados Unidos.

Antonio Carlos Jobim, Duke Pearson e Flora Purim também tinham interesse em sua permanência por lá. Ele também gravou com o poderoso Miles Davis, e contribuiu com duas canções para o álbum de 1970, "Live Evil": Igrejinha (Little Church) and "Nem Um Talvez" (Not even a maybe).

Enquanto esteve nos Estados Unidos, o multi-instrumentista pode apresentar suas extraordinárias habilidades como improvisador em concertos, e suas composições originais e idiossincráticas. Teve sua obra gravada por vários artistas, entre eles, Gil Evans e a Sinfônica de Berlin.

As canções de Hermeto compõe são choro, frevo, maxixe, baião, jazz e de outras naturezas, misturando tudo livremente, em combinações pouco usuais: uma só canção pode possuir vários rítmos.
Hermeto retornou ao Brasil em 1973, onde gravou "A Musica Livre De Hermeto Paschoal", e depois voltou aos States onde gravou em 1976, "Slave Mass".

Este disco, além dos instrumentos exóticos que sempre o acompanham, ele teve a presença e o companheirismo dos talentos de Airto, Flora Purim, Laudir de Oliveira, Raul de Souza, David Amaro, Ron Carter, e Alphonso Johnson.

Seus discos gravados no Brasil, apresentaram novos músicos como Pernambuco (percussão), Jovino Santos Neto (keyboards e flautas), Marcio Bahia (bateria), Carlos Malta (flautas, saxofones) e Itibere Zwang (baixo). De 1983 até 1989 Hermeto gravou para um pequeno selo brasileiro dedicado à música instrumental, o Som Da Gente.

Miguel Mauricio da Rocha

Nasceu em Lagoa da Canoa no estado de Alagoas em 1901 e faleceuem Belo Horizonte no estado de Minas Gerais. Foi um engenheiro, banqueiro e professor brasileiro. Foi um dos mais notáveis matemáticos do Brasil ao lado de Gomes de Souza e Manuel Amoroso Costa.

Graduou-se em engenharia civil, de minas e metalurgia pela Escola de Minas de Ouro Preto de Minas Gerais.

Foi membro da Academia Brasileira de Ciências e lecionou como professor catedrático de cálculo diferencial e integral, desde os 22 anos de idade, na Escola de Minas de Ouro Preto. Um dos fundadores da Faculdade de Filosofia da Universidade Federal de Minas Gerais, lá também exerceu a cátedra de Análise Matemática. Atuou como membro do Conselho Universitário Federal.

Desenvolveu trabalhos originais em pesquisa matemática e publicou “Sobre a Integração da Equação de Fourier"(Jean-Baptiste Joseph Fourier),“Soluções por polinômios de equações com derivadas parciais”,“Um novo algoritmo para equações diferenciais” e “Aplicação de um novo algoritmo na pesquisa de soluções de equações diferenciais”. Outra obra de sua autoria trata da transposição de uma fórmula própria, para o Resto de Taylor, de extrema generalidade. O Resto de Miguel Mauricio da Rocha, derivado desta fórmula, tornou-se um Resto clássico da matemática, deduzido em sequência aos Restos fundamentais de Taylor, Augustin Louis Cauchy, Joseph-Louis Lagrange e Oscar Xavier Schlömilch.

Chegou a ser um dos maiores acionistas e diretor do Banco da Lavoura, precursor do Banco Real. Foi signatário do Manifesto dos Mineiros. Na década de 1970, o prefeito Olavo Egídio Setúbal nomeou, na capital de São Paulo, a Rua Professor Miguel Mauricio da Rocha.

Casado com a mineira Maria Cecília Mauricio da Rocha, teve quatro filhos. Seu filho, engenheiro Antonio Maurício da Rocha, foi o fundador da TENENGE. Era irmão do pintor e jornalista Virgílio Mauricio da Rocha, do advogado Carlos Mauricio da Rocha, e do bispo da Igreja Católica Dom José Maurício da Rocha.

Joana Gajuru

gajuru2.jpg

Joana Maria da Conceição nasceu aproximadamente em 26 de agosto de 1866 na cidade alagoana de Lagoa da Canoa. A data é imprecisa porque naquela época não se usava registrar em cartório as meninas negras nascidas no engenho. Mesmo assim Joana foi batizada na Igreja e depois ganhou o apelido de "gajuru", dado a todos os negros nascidos por lá.

gajuru3.jpg

Joana Gajuru começou a dançar o Guerreiro, segundo ela própria, quando tinha apenas 15 anos. Naquela época a festa era feita e protagonizada apenas por homens. Joana nem quis saber: logo rompeu a tradição e passou a organizar, ela própria, a sua festa do Guerreiro. Depois disso não parou mais e, durante 70 anos, Joana Gajuru levou sua festa por todo o estado de Alagoas, começando na noite de Natal, passando pelo Dia de Reis e se estendendo durante os meses de janeiro e fevereiro.

Gajuru conseguiu viver mais de 120 anos. As poucas fotografias suas que restam são de uma das últimas festas que promoveu, mas quando já estava bem velhinha e com a saúde abalada. Mesmo assim Joana Gajuru dançou seu Guerreiro, fumou seu cigarro de corda e bebeu sua cachacinha. Morreu, gloriosa, no ano de 1986.

Agnelo Rodrigues Melo(Judas Isgorogota)

Nasceu em Lagoa da Canoa, Alagoas, (1921) viveu em Maceió, mudou-se aos 23 anos para o Rio de Janeiro e depois para São Paulo onde ganhou projeção internacional e veio a falecer em 1979. Publicou 15 livros de poesias, uma novela e cinco de poesias infantis.

Dom José Maurício da Rocha

1bispo.jpg

Dom José Maurício da Rocha, nasceu em Lagoa da Canoa, no dia 18 de junho de 1885.

Era irmão do pintor e jornalista Virgílio Mauricio da Rocha, da educadora Cantanila Maurício da Rocha, do advogado Carlos Mauricio da Rocha, de Oscar Mauricio da Rocha e do matemático e banqueiro Miguel Mauricio da Rocha e tio do renomado engenheiro Antonio Maurício da Rocha.

Foi ordenado sacerdote, em 29 de junho de 1908, na Catedral de Maceió, com dispensa, por ter apenas vinte e três anos de idade.

Imediatamente, foi nomeado professor do Seminário Menor de Maceió, e secretário da Cúria Diocesana. Devido à sua inteligência ímpar, seu zelo e destaque em meio ao clero de sua época, o arcebispo de São Salvador da Bahia concedeu-lhe, em 1911, o título de Cônego Honorário da Sé Primacial. Em todas as suas atividades como presbítero continuou a destacar-se, sendo que em 1913, o Papa São Pio X criou-lhe Monsenhor Camareiro Secreto. Durante todo o período de seu presbiterado, produziu uma imensa quantidade de estudos, pesquisas e publicações.

Episcopado
A 10 de maio de 1919, foi nomeado, pelo Papa Bento XV, bispo diocesano de Corumbá. A 20 de julho do mesmo ano, foi sagrado bispo, na catedral de Maceió, tendo por sagrante principal Dom Jerônimo Tomé da Silva, arcebispo primaz do Brasil, e como consagrantes: Dom Manuel Antônio de Oliveira Lopes, arcebispo de Maceió, e Dom Jonas de Araújo Batinga, bispo de Penedo.

Atividades

Sagrado bispo, tomou posse de sua diocese, então muito isolada, privada de patrimônio e com clero muito pouco numeroso. Aí permaneceu por oito anos, dando grande impulso ao desenvolvimento local, nunca descuidando do zelo espiritual pelas almas. Empreendeu penosas viagens pelo sertão, em lombo de burro, para realizar visitas às distantes paróquias e comunidades. A 4 de fevereiro de 1927 foi transferido para a Sé de Bragança Paulista, criada a 24 de julho de 1925 e ainda não provida de bispo. A 19 de junho do mesmo ano tomou posse, fazendo sua entrada solene na cidade episcopal e na catedral.

Governou com grande zelo a diocese, consolidando seu patrimônio, dedicando-se incansavelmente à formação cultural e religiosa do clero, à instrução dos fiéis, e essencialmente à salvação das almas. Pode-se dizer que foi um verdadeiro evangelizador. Sua formação sólida, sua erudição ímpar, o brilho de sua palavra, a magia de sua pena e sua inteligência privilegiada fez com que produzisse um sem número de consistentes artigos, profundas Cartas Pastorais, discursos e homilias inesquecíveis. Contudo, o que mais marcou seu caráter foi a defesa incondicional da fé e a preocupação com a dissolução dos costumes. Foi monarquista convicto, mas manteve bom relacionamento com as autoridades republicanas. Dom José Maurício foi personalidade influente na vida política e social do Brasil, durante toda a primeira metade do século XX. Gozou ele de tanto prestígio e influência que quando alguém não conseguia seus objetivos com algum político ou empresário, era orientado com o famoso jargão: "Vá se queixar ao Bispo de Bragança certamente, se ele se interessasse pela causa ela teria sucesso.

Após quarenta e dois anos à frente do governo da Diocese de Bragança Paulista, faleceu a 24 de novembro de 1969 , no Palácio Episcopal de São José, em Bragança Paulista. O seu corpo embalsamado foi revestido de paramentos róseos, usados nos domingos ‘’Gaudete’’ e ‘’Lætare’’, em sinal de alegria, sendo exposto à visitação de uma multidão de pessoas, não só da diocese, mas também de muitos outros lugares do Estado e do País. Estiveram presentes muitas autoridades eclesiásticas, dentre elas o Cardeal Agnelo Rossi, então arcebispo de São Paulo; Dom Humberto Mozzoni, então Núncio Apostólico no Brasil, inúmeros arcebispos, bispos, sacerdotes e seminaristas. Também autoridades civis e militares se fizeram presentes, destacando-se o ex-presidente Jânio Quadros, o general Milton Tavares e o Ministro da Justiça Luís Antônio da Gama e Silva. Suas exéquias foram pontificadas, em latim, pelo então arcebispo de Campinas, Dom Antônio Maria Alves de Siqueira, na Sé Catedral de Bragança Paulista, onde foi sepultado na cripta.

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License